MICROSOFT USA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA ORGANIZAR E-MAILS ATÉ TRATAR CÂNCER

por | jul 2, 2018

alar em inteligência artificial parecia coisa de filme de ficção científica até poucos anos atrás. Hoje, porém, está por trás de diversas tecnologias que facilitam o dia a dia. Da simples busca de um termo na internet ao tratamento do câncer, passando pelo cultivo de alimentos, a inteligência artificial vem revolucionando diversas áreas da vida.

À frente desse processo, a Microsoft tem criado produtos e serviços que usam a inteligência artificial para melhor entender, prever e responder às necessidades das pessoas. Quando Bill Gates e Paul Allens fundaram a companhia há mais de 40 anos, o objetivo era tornar acessível a todos os benefícios dos softwares de computação – naquela época confinados em computadores de grande porte. Hoje, a Microsoft procura fazer o mesmo com a inteligência artificial.

Se você usou o Office 365 e ou o Microsoft Word recentemente, a inteligência artificial provavelmente ajudou a fazer uma redação mais concisa, corrigiu erros de gramática e informou o significado de uma sigla. Ao usar o buscador Bing, ele deve ter oferecido uma resposta direta à sua consulta ou resumido duas perspectivas diferentes sobre um tópico controverso.

A inteligência artificial é, basicamente, a capacidade de uma máquina de reconhecer imagens e palavras e raciocinar e aprender de modo similar ao das pessoas. Dessa forma, ela consegue abordar problemas que não podíamos resolver antes e liberar o tempo das pessoas para tarefas com maior valor. A Cortana, assistente digital inteligente da Microsoft, é um bom exemplo disso.

Em breve, a Cortana será capaz de executar tarefas como organizar e-mails e oferecer um resumo dos mais importantes enquanto você prepara o jantar. Isso será possível porque ela foi treinada a partir de conjuntos de dados massivos e anônimos para entender o que pode sinalizar que um e-mail é importante. Em seguida, ela aprenderá especificamente quais e-mails podem ser importantes para você com base em seu comportamento e suas preferências.

A abordagem da Microsoft com relação à inteligência artificial se baseia em três pilares. O primeiro é a inovação de liderança, tomando a dianteira na pesquisa e desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial. A segunda é construir plataformas que tornam a inteligência artificial mais rápida e acessível. Mais de 760 mil desenvolvedores de 60 países usam o Cognitive Services, por exemplo, para criar aplicativos que fazem coisas como reconhecer gestos, converter fala em texto ou identificar e legendar imagens. A terceira é desenvolver uma abordagem de confiança para que a inteligência artificial seja desenvolvida e implementada de maneira responsável.

Na área da saúde, os avanços da inteligência artificial tem permitido à medicina identificar e tratar o câncer de forma mais eficaz. A Microsoft usa recursos de aprendizado de máquina (machine learning), capazes de aprender com base em dados e imagens, em projetos como o InnerEye, que instrui sistemas para delinear tumores potencialmente cancerosos. Esses recursos também são usados para apoiar médicos na definição do melhor tratamento para o paciente, oferecendo mais subsídios para que ele possa tomar sua decisão quanto aos tratamentos de radioterapia e quimioterapia.

A Microsoft também promove a iniciativa “AI for Good”, que busca criar soluções para áreas como educação, defesa ambiental, acessibilidade e saúde. Dentro dessa iniciativa, fazendeiros estão descobrindo como cultivar mais alimentos usando menos recursos naturais. Os avanços na visão computadorizada e no reconhecimento de imagens estão sendo usados em aplicativos como o Seeing AI, que, entre outras coisas, ajuda pessoas cegas ou com visão fraca a fazer coisas como reconhecer dinheiro e obter uma descrição das pessoas ao seu redor.

Fonte: https://techtudo.com.br

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe esse conteúdo: