BRASILEIROS SOBEM AO PÓDIO NA OLIMPÍADA INTERNACIONAL DE QUÍMICA

por | ago 6, 2018

Todos os estudantes brasileiros participantes conquistaram medalha durante a 50ª Olimpíada Internacional de Química. Os alunos Ivna de Lima Ferreira Gomes (de 17 anos), Vinícius Figueira Armelin (16 anos), João Victor Moreira Pimentel (16 anos) e Orisvaldo Salviano Neto (17 anos), conquistaram as medalhas de ouro (dois primeiros), prata e bronze, respectivamente, durante a competição, realizada na República Tcheca e Eslováquia. A participação dos estudantes nessa disputa conta com o patrocínio da Dow, empresa do setor químico.

A conquista ajudou o Brasil a alcançar o seu melhor desempenho na história de todas as modalidades de olimpíadas científicas e subir seis posições no ranking, conquistando o 12º lugar no ranking geral.

Iniciada em 1968, a Olímpiada reúne anualmente 304 estudantes de 76 países – o Brasil participa desde 1997 –, com o objetivo de estimular o ensino, o estudo e a pesquisa no campo da Química, além de descobrir novos talentos. Na competição, cada país pode competir com o máximo de quatro estudantes não-universitários, com idade inferior a 20 anos, que se submetem a exames teóricos e práticos durante o período do evento (10 dias).

As provas aplicadas são elaboradas por um júri internacional formado por mentores (membros das delegações) e especialistas do país organizador. Ao final do evento, os estudantes que se destacaram na competição recebem medalhas de ouro, prata e bronze. Ao todo, foram premiados 198 estudantes, sendo 95 com medalhas de bronze, 65 com prata e 35 de ouro.

“Sabemos da importância na conquista dessas medalhas, que significa, para nós, a vitória de um trabalho em conjunto e exaustivo, realizado durante todo o ano. Esse esforço veio a ser refletido no aprendizado desses jovens, que foram selecionados e tiveram o reconhecimento de uma Instituição internacional”, ressalta Sérgio Maia Melo, professor e coordenador do Programa Nacional das Olimpíadas de Química.

A Dow, que já apoia as Olimpíadas Baiana e Paulista de Química há mais de nove anos, patrocina – desde o ano passado – também o Programa Nacional Olimpíadas de Química. A parceria da Dow com as competições faz parte da estratégia de cidadania corporativa da companhia, que prevê, entre seus focos de atuação, desenvolver iniciativas que buscam despertar o interesse e melhorar a preparação dos alunos na área de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM), por meio do engajamento dos funcionários da empresa e de parcerias estratégicas.

“Ao apoiar ações como essa, a Dow reafirma seu compromisso de contribuir diretamente para a melhoria da educação científica no mundo. Queremos incentivar esses jovens a se tornarem futuros profissionais da área e se juntarem a nós para desenvolver produtos e soluções que trazem melhorias sustentáveis para o mundo, ajudando a resolver desafios da sociedade”, explica Fábio Mendes, especialista em Cidadania Corporativa da Dow.

Sobre as ações de cidadania da Dow

As ações de cidadania corporativa da Dow buscam colocar em prática o compromisso da empresa para avançar o progresso humano e desenvolver comunidades sustentáveis. Desta forma, a companhia produz soluções na interseção entre a inovação, sustentabilidade e cidadania para identificar, entender e endereçar os principais problemas da humanidade. Para isso, a Dow colabora com governos, ONGs, corporações e instituições de ensino para promover comunidades socialmente saudáveis e resilientes, ao mesmo tempo em que impulsiona seus negócios, alinhando-se às Metas de Sustentabilidade 2025 da empresa.

Fonte: http://abcdoabc.com.br/

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe esse conteúdo: