MULHERES EM STEM DISCUTE IGUALDADE DE GÊNERO NAS ÁREAS DE TECNOLOGIA

por | ago 16, 2018

Na manhã da última segunda-feira (13), o Grupo +Unidos e o Instituto Embraer organizaram um evento para debater e contextualizar a participação da mulher no mercado de trabalho em ciências e tecnologia. Realizado na cidade de São Paulo, Mulheres em STEM contou com a presença de lideranças femininas no setor e também com cerca de 40 meninas estudantes do Instituto Embraer.

Para conduzir as discussões sobre igualdade de gênero e apoiar o desenvolvimento acadêmico e profissional de jovens mulheres em carreiras de STEM (sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática), o debate contou com a mediação de Camila Achutti (fundadora e CEO da MasterTech) e também com as convidadas Paula Paschoal (diretora geral do PayPal Brasil), Roseli de Deus Lopes (professora e pesquisadora da Escola Politécnica da USP) e Desuíta Campelo (digital factory transformation leader na Embraer).

Com objetivo de apresentar para as meninas do Instituto suas experiências e conquistas em até o momento, Desuita Campelo buscou relembrar como foi seu ingresso ao mercado profissional logo após sua formação acadêmica em engenharia elétrica. “Quando comecei a trabalhar, estava entrando em um universo fabril, composto majoritariamente por homens. Com isso, percebi que havia algumas situações onde eles não sabiam não sabiam como interagir com uma mulher que passaria a trabalhar com eles. Levou um certo tempo, mas começaram a entender que era uma trabalhadora como qualquer outro”, afirma Desuita.

Para Paula Paschoal, a sociedade como um todo ainda precisa passar por um processo de evolução eficaz. Destaca que há muito o que se fazer em relação à igualdade de gênero, pois, segundo o estudo do Fórum Econômico Mundial, apenas em 2092 as mulheres passarão a ter salários equivalentes aos dos homens no Brasil. “Nós enfrentamos situações onde somos minorias em representatividade, como no próprio mercado de tecnologia. Contudo, essas situações adversas não podem nos impedir de batalhar pelo o que queremos. Nós devemos sempre levantar a cabeça e mostrar nossa competência e do que somos capazes”, conclui Paula.

Contudo, Roseli de Deus Lopes entende que essa transformação é gradual pesa muito mais para as empresas quando elas conseguem mensurar o retorno financeiro que a diversidade pode proporcionar. “Muitas companhias estão mudando os cenários internos pois percebem que a rentabilidade cresce conforme a representatividade e felicidade de seus colaboradores aumentam” completa Roseli. Entretanto, ressalta que essa alteração é demanda tempo e precisa estar presente no planejamento estratégico das instituições.

Após o término do painel, as profissionais e as estudantes presentes realizaram uma dinâmica em duplas. A atividade objetivou a troca de experiências entre os pares e a criação de uma relação por meio do compartilhamento de valores em comum ou de visões complementares de um sonho do mundo.

No período da tarde, as alunas do Colégio Embraer Casimiro Montenegro Filho realizaram uma visita aos laboratórios do Centro Interdisciplinar em Tecnologias Interativas da USP (CITI USP), voltados para a pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Coordenada por Roseli de Deus Lopes e Elena Saggio, gerente de comunicação do laboratório, a visita permitiu que as estudantes interagissem com o ambiente de trabalho da academia e com as pesquisas em desenvolvimento.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *