Há quem pense que os temas da Diversidade & Inclusão são pouco ou nada jurídicos. É importante lembrar que essas questões envolvem o elemento fundamental presente na construção de leis, motivo pelos quais condutas, relações, costumes e valores mudam o tempo todo: pessoas. Vamos falar de pessoas!

O fato é que não existem duas pessoas idênticas, seja do ponto de vista social, humano ou mesmo corporativo, de modo que a diversidade – em todas as suas variações – é inerente à nossa existência. Nesse sentido, é cada vez mais frequente o uso das palavras inclusão e diversidade dentro das organizações.

Há tempos a diversidade perdeu o status de simples “ação social”, passando a ser um ativo estratégico de grande necessidade e sobrevivência para muitas organizações. Segundo estudo realizado pela Harvard Business Review, a implementação de políticas de diversidade tornam as companhias mais competitivas, inovadoras e tecnológicas. A análise aponta que empresas que trabalham com ações dessa natureza possuem 45% de chances a mais de aumentar a participação de mercado durante o ano, em comparação com as que não trabalham.

Entretanto, mesmo que a relevância desses temas sejam evidentes, enfrentamos ainda múltiplos desafios no que diz respeito ao acesso de expressiva parcela da população ao meio corporativo. 

Pensando nisso, o Grupo +Unidos promoveu no último dia 12 um evento gratuito para tratar dos temas da Diversidade & Inclusão. Durante o encontro, nomes importantes no setor como Gabriela Szprinc (Mercado Pago/Grupo +Unidos), Maite Schneider (Transempregos), Suelen Marcolino (LinkedIn) e Thatiana Zukas (GPA) compartilharam suas vivências e ideias com os convidados. Após o painel, ocorreu um almoço e um momento destinado a networking e trocas de experiências entre os presentes.

Dos executivos presentes, 83% afirmaram que a empresa em que trabalham possui alguma política voltada a Diversidade & Inclusão, o que evidencia a centralidade da agenda. O principal objetivo do encontro foi apontar caminhos para garantir a sua implementação efetiva dentro das corporações.

Para Thatiana Zukas, é fundamental que as lideranças das empresas se mostrem ativas no desenvolvimento dos novos hábitos e cruzamento de culturas. Deve-se levar em consideração que, quanto mais diversa a empresa, mais engajados os seus colaboradores. “Pesquisas já provaram que esse é um diferencial de retenção, e essa é uma métrica a ser exaltada pelas lideranças como forma de quantificar o retorno dessas ações”, comentou.

Segundo o ponto de vista de Maite Schneider, co-fundadora do Transempregos, iniciativas de diversidade e inclusão precisam ser trabalhadas diariamente e são mais um trabalho de harmonização do que inserção, no que afirma que “50% do tempo é dedicado a fazer as pessoas perderem o medo de pessoas, harmonizando as relações”.

Para a gerente de vendas na área de Soluções de Talentos do LinkedIn, o tema requer uma mudança de cultura das práticas cotidianas da empresa e, assim, é necessário “desenhar um processo de educação, fazendo com que o ambiente seja seguro para todos e influenciando outras empresas”. Para tanto, é imprescindível que as organizações que começaram no caminho da diversidade, como o próprio LinkedIn, agora sejam referências.

O evento aconteceu nas dependências do hotel Hilton Morumbi e reuniu mais de 40 executivos de grandes empresas brasileiras, como Alcoa, Danone, GPA, LinkedIn, Nubank, Telefônica Vivo, 99App, entre outras.

Uma das principais competências do Grupo +Unidos é reunir pessoas. Queremos fortalecer uma rede que esteja interessada em compartilhar boas práticas de gestão e investimento social privado. Nosso principal objetivo é levar às empresas experiências reais que demonstram a importância da inclusão destas questões em seu cotidiano, tornando-as verdadeiras agentes transformadoras em nossa sociedade.