Uma pesquisa realizada pela KPMG durante o evento “Educação no Brasil – transformando desafios em oportunidade” concluiu que, para 38% dos líderes entrevistados, o principal desafio para o segmento é acompanhar a velocidade dos avanços e inovações. O levantamento, que entrevistou cerca de 140 empresários, mostrou ainda que 85% deles acreditam que a tecnologia trará impactos relevantes e estruturais para o setor de educação.

Durante o evento, representantes de diversas empresas que atuam no setor também se mostraram preocupados com o investimento em tecnologia. Para 31% deles, o atual desafio para a instituição que lidera é a criação de programas de inovação e novos produtos.

Quando perguntados sobre os maiores obstáculos para as empresas nos próximos anos, 60% apontaram como o principal deles a adaptação e criação de cursos, material didático e plataformas digitais que atendam às novas demandas de mercado. Já no que se refere ao investimento realizado na área de tecnologia, 50% dos participantes afirmaram não ter uma equipe dedicada a novos negócios e inovação na própria instituição.

De acordo com o sócio líder da área educação da KPMG, Marcos Boscolo, reconhecer a importância de se investir em inovação é apenas o primeiro passo. “Ainda há muito a avançar. O mercado está mudando e as tecnologias estão em plena evolução. É preciso agir e estar aberto às novidades que esse processo de inovação traz. No cenário atual, investir em tecnologia não é apenas importante para a manutenção e crescimento dos negócios, mas também para elevar o padrão do ensino brasileiro a um patamar completamente novo”, analisa.

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory.

Fonte: Rede Jornal Contábil