+UNIDOS REALIZA REUNIÃO COM REPRESENTANTES DA MISSÃO DIPLOMÁTICA DOS EUA E EMPRESAS ASSOCIADAS

+UNIDOS REALIZA REUNIÃO COM REPRESENTANTES DA MISSÃO DIPLOMÁTICA DOS EUA E EMPRESAS ASSOCIADAS

Na última quinta-feira, 31 de outubro, o Grupo +Unidos, fundo de investimento social atuante no Brasil há mais de 10 anos, realizou sua reunião do Conselho nas dependências do Hotel Hilton Morumbi. Na ocasião, os resultados de impacto social e financeiros obtidos ao longo de 2019 foram apresentados às empresas associadas, bem como foram discutidos os passos a serem dados no próximo ano para consolidar ainda mais a participação do Grupo no atendimento às demandas por investimento social privado no país. 

A abertura da reunião ficou sob a responsabilidade de William Popp, Embaixador Interino dos EUA, David Bunce, presidente do Conselho Diretivo +Unidos e sócio aposentado da KPMG no Brasil, e Ted Gehr, Diretor da USAID Brasil. Também participou do encontro Ana Carolina Lafemina, Secretária Adjunta de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de São Paulo, representando a atual Secretária Aline Cardoso.

Durante a sua fala, o Embaixador William Popp parabenizou o trabalho desenvolvido pelo Grupo +Unidos, celebrando e renovando o compromisso de colaboração entre a organização e a Missão Diplomática dos EUA. “O +Unidos tem sido o parceiro executor de várias das nossas iniciativas e tem apoiado com grande êxito o desenvolvimento de jovens brasileiros, que serão os líderes do país em poucos anos”, afirmou.

O Diretor Executivo Grupo +Unidos, Augusto Corrêa, apresentou resultados que evidenciam o crescimento e amadurecimento da organização. Augusto acredita que as perspectivas para o Grupo para 2020 são muito promissoras: “queremos multiplicar o nosso impacto, aumentando o número de empresas associadas, desenvolvendo diferentes projetos em parceria com o poder público e diversificando o nosso portfólio de projetos em consultoria”.

Por fim, a Secretária Adjunta Ana Carolina Lafemina foi a palestrante convidada e discorreu sobre os esforços da administração pública no que se refere à empregabilidade e geração de renda. Ana Carolina apontou caminhos para colaboração com o setor privado na construção dessas políticas. “Movimentos como este, que trazem o setor privado para perto da administração pública, nos fortalecem e ajudam a fazer com que nossos esforços sejam efetivos para a redução de situações de extrema vulnerabilidade”, comentou.

Agradecemos a todos que puderam estar presentes. O Grupo +Unidos tem ampliado seu impacto positivo na sociedade e isso só é possível devido ao trabalho colaborativo de todos os envolvidos. Se sua empresa também quer apoiar projetos de impacto, faça parte da nossa rede enviando um e-mail para contato@maisunidos.org.

As fotos do encontro podem ser acessadas por meio deste link.

#unidossomosmaisfortes

A EMBAIXADA DOS EUA DIVULGA OS NOMES DOS 50 JOVENS EMBAIXADORES SELECIONADOS PARA O PROGRAMA DE 2020

A EMBAIXADA DOS EUA DIVULGA OS NOMES DOS 50 JOVENS EMBAIXADORES SELECIONADOS PARA O PROGRAMA DE 2020

A Embaixada e os Consulados dos Estados Unidos no Brasil divulgaram, nesta quarta-feira, 30 de outubro, os nomes dos 50 estudantes selecionados para participar do Programa Jovens Embaixadores 2020. Esse ano o programa comemora 18 anos e, ao atingir a maioridade, mudanças relevantes serão feitas nessa iniciativa de responsabilidade social. Em 2020, o programa passará a ter um foco mais voltado para o desenvolvimento de habilidades para o ambiente em constante transformação do século XXI e oferecerá aos participantes ferramentas para solucionar problemas em suas comunidades por meio de ações criativas e inovadoras.

A viagem dos Jovens Embaixadores para os EUA será de 10 a 29 de janeiro de 2020. Durante essas três semanas, eles passarão pela capital dos EUA, Washington, D.C., viajarão para quatro cidades, onde serão hospedados por família voluntárias. Além disso, os jovens participarão de atividades como oficinas sobre liderança e empreendedorismo, projetos de impacto social, reuniões com representantes do governo dos EUA, frequentarão escolas da região e farão apresentações sobre o Brasil.

Este ano a seleção contemplou pelo menos um representante de cada estado brasileiro e do Distrito Federal. O programa é patrocinado pela Embaixada e os Consulados dos Estados Unidos no Brasil, e conta com o apoio de parceiros públicos e privados.

A lista dos selecionados:

Aisha Ellen Lemos Paz
Fortaleza, CE
Eduarda Caroline Machado De Souza
Cabixi, RO
Gabriel Willian Duarte Constantino
Poços de Caldas, MG
Kevin Carneiro Couto
Petrópolis, RJ
Matheus Coutinho Da Silva
Rio de Janeiro, RJ
Ana Carla Fraga Da Silva
Rio Branco, AC
Elisa Maia Santos
Recife, PE
Gustavo Diogo Da Silva
Suzano, SP
Kimberly Dutra Lima Alves
Aragarças, MT
Matheus Holanda Do Nascimento
Belém, PA
Ana Clara Scaramussa Portinho
Cachoeiro do Itapemirim, ES
Emily Nycole Alves De Sousa
João Pessoa, PB
Gustavo Henrique Martins
Canguaretama, RN
Laura Eduarda Mallmann Kieling
Capanema, PA
Mayco Bruno Do Carmo Santos
Camaçari, BA
Ana Cláudia Goes Rocha
Campo Grande, MS
Erick Fernandes Carneiro Sales
Ubá, MG
Hudson Eduardo Da Silva Terra
Curitiba, PR
Livia maria Souza da Silva
Capanema, PA
Naiara De Freitas Braga
Rio de Janeiro, RJ
Andressa De Lima Brandão
Foz do Iguaçu, PR
Esdras Santos Gois
Itaporanga D’Ajuda, SE
Jamylle Gomes Santos Oliveira
São Luís, MA
Lorena Vitoria Da Rocha André
Macapá, AP
Ryan Falcão Palheta
Manaus, AM
Arthur Pereira Lima Dos Reis
Tatuí, SP
Felipe Alves Gama
Paraíso do Tocantins, TO
João Vitor Ribeiro Lima
Aurora do Tocantins, TO
Luan Torres De Moraes
São Bento do Uma, PE
Sarah Emanuele De Sousa Oliveira
Açailândia, MA
Brenda Juara Carvalho Brandão
Nova Russas, CE
Felipe Garcia Pavanelli
Campo Grande, MS
José Cláudio Cunha Dos Santos
Salvador, BA
Luisa Laurentino Oliveira
São Paulo, SP
Tarcísio De Paula Sarraf
Boa Vista, RR
Carlos Mikael Alencar Tenorio
Maceió, AL
Felipi Alisson De Sousa
Guará II, DF
José Edson Amorim Sebastião
Recife, PE
Maria Eduarda Alves Martins
Lajes, RN
Thiago Moreira Alencar Simei
Franca, SP
Caroline Vitória Baldí Dos Santos
São Lourenço, MG
Filipy Da Silva Bruno
Niquelândia, GO
Kássia Leandra Mendes De Oliveira
Brasília, DF
Maria Eduarda Da Silva Oliveira
Brasília, DF
Vitória De Andrade Romagna
Sapucaia do Sul, RS
Clara De Albuquerque Santos
Rio de Janeiro, RJ
Gabriel Bones Silva
Camboriú, SC
Kelvin Galvan Pasqualotto
Cunha Porã, SC
Matheus Cardoso Mendonça
São José da Barra, MG
Warley Sanderson Da Silva Santos
Teresina, PI

Saiba mais sobre o programa Jovens Embaixadores:

Foi criado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil em 2003. O programa conta com a parceria do Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED), das Secretarias Estaduais de Educação, da rede de Centros Binacionais Brasil-Estados Unidos e das empresas FedEx, MSD, IBM, Correios e SM Tour. Além disso, conta também com o apoio institucional do Movimento Todos pela Educação, do Canal Futura e do Grupo +Unidos – fundo de investimento social colaborativo formado por empresas norte-americanas estabelecidas no Brasil. Atualmente o Programa Jovens Embaixadores é implementado em todos os países do continente americano e conta, ainda, com um programa inverso para jovens norte-americanos representarem os EUA na América Latina. Desde sua criação, 622 jovens brasileiros já participaram do programa. https://www.facebook.com/JovensEmbaixadores

Os veículos de imprensa interessados em entrevistar os Jovens Embaixadores devem entrar em contato com as Assessorias de Imprensa da Embaixada e dos Consulados dos Estados Unidos no Brasil:

Brasília: (61) 3312-7367 / 7364 – São Paulo: (11) 3250-5237 / 5276 / 5261– Rio de Janeiro: (21) 3823-2122 / 2119 – Recife: (81) 3416-3096 / 3066 – Belo Horizonte: (31) 3338-4010 – Porto Alegre: (51) 3345-6128 / 6110

Para mais informações sobre esta Nota à Imprensa entrar em contato com a Assessoria de Imprensa da Embaixada dos EUA em Brasília pelo e-mail BrasiliaEMBEUA@state.gov ou pelos telefones (61) 3312-7367 / 7364 / 7350. Siga-nos no Twitter e Flickr.

Fonte: Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil.

INOVAÇÃO VS EDUCAÇÃO: ACOMPANHAR A VELOCIDADE É O PRINCIPAL DESAFIO

INOVAÇÃO VS EDUCAÇÃO: ACOMPANHAR A VELOCIDADE É O PRINCIPAL DESAFIO

Uma pesquisa realizada pela KPMG durante o evento “Educação no Brasil – transformando desafios em oportunidade” concluiu que, para 38% dos líderes entrevistados, o principal desafio para o segmento é acompanhar a velocidade dos avanços e inovações. O levantamento, que entrevistou cerca de 140 empresários, mostrou ainda que 85% deles acreditam que a tecnologia trará impactos relevantes e estruturais para o setor de educação.

Durante o evento, representantes de diversas empresas que atuam no setor também se mostraram preocupados com o investimento em tecnologia. Para 31% deles, o atual desafio para a instituição que lidera é a criação de programas de inovação e novos produtos.

Quando perguntados sobre os maiores obstáculos para as empresas nos próximos anos, 60% apontaram como o principal deles a adaptação e criação de cursos, material didático e plataformas digitais que atendam às novas demandas de mercado. Já no que se refere ao investimento realizado na área de tecnologia, 50% dos participantes afirmaram não ter uma equipe dedicada a novos negócios e inovação na própria instituição.

De acordo com o sócio líder da área educação da KPMG, Marcos Boscolo, reconhecer a importância de se investir em inovação é apenas o primeiro passo. “Ainda há muito a avançar. O mercado está mudando e as tecnologias estão em plena evolução. É preciso agir e estar aberto às novidades que esse processo de inovação traz. No cenário atual, investir em tecnologia não é apenas importante para a manutenção e crescimento dos negócios, mas também para elevar o padrão do ensino brasileiro a um patamar completamente novo”, analisa.

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory.

Fonte: Rede Jornal Contábil

CUMMINS RECEBE PRÊMIO WEPS BRASIL: EMPODERANDO AS MULHERES

CUMMINS RECEBE PRÊMIO WEPS BRASIL: EMPODERANDO AS MULHERES

Cummins Brasil foi uma das empresas vencedoras da categoria Prata da 3ª edição do Prêmio WEPs Brasil – Empoderando as Mulheres. A premiação objetiva incentivar e reconhecer os esforços que promovam  a cultura da equidade de gênero e o empoderamento da mulher e é reconhecida pelo Pacto Global da ONU e pela ONU Mulheres.

A edição 2019 do prêmio WEPs teve como realizador o Programa Ganha-Ganha: Igualdade de gênero significa bons negócios, uma parceria entre ONU Mulheres, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e que conta com financiamento da União Europeia.

“Resultados excelentes não são oriundos de um grupo específico, de uma experiência específica. A Cummins, como empresa global, reconhece a necessidade de diferentes perspectivas e dedica esforços para construção de uma cultura mais igualitária”, Luis Pasquotto, presidente da Cummins Brasil e vice-presidente da Cummins Inc.

“Ao trabalharmos com a diversidade, consideramos que esse espectro diverso de opiniões resultam em decisões mais fortes e está totalmente ligado ao sucesso da companhia”, completa o executivo, que recebeu o prêmio em evento realizado em São Paulo.

A fabricante de motores desenvolve diversas ações para a promoção das mulheres no mercado de trabalho no Brasil. Já em 2010 foi criado o Grupo de Afinidades de Mulheres no complexo industrial de Guarulhos (SP) com a ideia de intensificar os trabalhos de inclusão.

A diversidade é também trabalhada na empresa por meio de grupos que incluem mulheres, afrodescendentes, deficientes físicos, geração Y e lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.

Fonte: Auto Indústria

PELAS JUVENTUDES NOS MOVIMENTAMOS PARA FALAR SOBRE GERAÇÃO DE RENDA E TRABALHO

PELAS JUVENTUDES NOS MOVIMENTAMOS PARA FALAR SOBRE GERAÇÃO DE RENDA E TRABALHO

Garantir que todas as juventudes encontrem caminhos para atuar na construção do melhor mundo. Esta é a ideia que motiva o Em Movimento, rede de organizações que atuam em prol das juventudes brasileiras, como Instituto Arapyaú, Ashoka, Impact Hub São Paulo, Fundação Arymax, Instituto Elos, Historiorama e Grupo +Unidos. O que une tais organizações é o olhar focado para as demandas das juventudes e o suporte que oferecem para que se engajem, se desenvolvam e tenham mais acesso às oportunidades oferecidas pelos campos sociais.

Há algum tempo, com o intuito de alimentar o seu pilar de inteligência coletiva, o Em Movimento criou uma metodologia chamada LAB para realizar conversas aprofundadas com sabedores a respeito de algum tema de relevância aos jovens brasileiros. Assim, a partir do levantamento de provocações e discussões, o LAB ganha relevância enquanto ferramenta de escuta, tradução e disseminação de agendas fundamentais, entre juventudes e organizações.

Nesse percurso, a organização já realizou LABs para discutir sobre temas de extrema pertinência, tais como, saúde mental, genocídio da juventude negra e reforma do ensino médio. Na última semana de outubro, o LAB reuniu jovens e especialistas do terceiro setor em torno de outra  questão central: quando tratamos sobre geração de trabalho e renda, o que é mais importante para as juventudes?

Sabemos que são muitos e diferentes os motivos pelos quais jovens enfrentam dificuldade ao tentar acessar o mercado de trabalho. De maneira geral, a instabilidade econômica da última década impactou especialmente na trajetória daqueles que procuravam a sua primeira oportunidade de atuação profissional. De maneira evidente, as estatísticas do PNAD ilustram esse quadro ao apontar que a probabilidade de um jovem (de 18 a 24 anos) estar sem emprego é quase três vezes maior do que a dos demais brasileiros desocupados.

Ainda, mesmo quando empregados, os jovens são os mais suscetíveis a demissão.  Este cenário pode ser referendado pelo levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) o qual aponta que entre novembro de 2018 a janeiro de 2019 a taxa geral de crescimento de ocupação foi de 0,9% ao mesmo tempo em que houve um retraimento de 1,3% entre os indivíduos de 18 a 24 anos.

Evidentemente, esses dados não atingem todos os jovens de maneira uniforme. As juventudes periféricas, por exemplo, enfrentam  maior dificuldade para acessar oportunidades de qualificação profissional adequada, situação que se agrava quando são considerados os recortes de etnia e gênero no aprofundamento dessas análises.

“Hoje existem avanços em acessos, mas ainda existem inúmeros desafios para esse jovem que está na periferia. Você consegue hoje ter condições mínimas de possibilidades e perspectivas para a juventude, mas pela conjuntura política e econômica atual elas podem ser desconstruídas”, comentou Alex Barcellos, do Solano Trindade, economista e também morador da periferia.

Assim, objetivando tratar dessas e outras questões sobre os jovens e o mundo do trabalho  considerando visões múltiplas, realizamos o “LAB Geração de Trabalho e Renda”. O encontro foi organizado em 3 blocos que discutiram, nesta ordem, as diferenças entre trabalho e geração de renda, as novas formas de trabalho e profissões e quais caminhos devem ser seguidos para amplificar o debate e as oportunidades de trabalho  dentre os jovens. 

O evento aconteceu na sede da Educafro, no centro de São Paulo, e contou com a participação de mais de 30 pessoas, entre membros da mesa de discussão e ouvintes. A facilitação da conversa ficou a cargo de Tony Marlon, do Historiorama, e de Camila Ribeiro, do Em Movimento. Colaboraram com o debate representantes das organizações Solano Trindade, Carambola Tech, Arrastão, Arymax, Embarque no Direito, Wieden e com os jovens Gabriel Oliveira, do projeto E2C (English to Connect, Communicate, Catalyze), Jess Vieira, ilustradora, e Midria, poeta e slammaster do Slam USPerifa.

Para ver fotos do encontro, acesse: www.maisunidos.org/fotos-e-videos/